INVENTING ANNA – O PODER DA IMAGEM

13/Mar/2022

 

Os céticos que ainda duvidam da diferença que a aparência pode provocar no relacionamento em sociedade, não podem perder a série Inventing Anna, da Netflix!

 

A protagonista deste enredo, Anna Delvey (nascida Anna Sorokin) ficou conhecida nos Estados Unidos da América por ter enganado, durante cerca de 5 anos a elite nova iorquina, fazendo-se passar por uma herdeira alemã de um grande milionário. A série baseia-se numa história real decorrida entre 2013 e 2017.

 

Depois de percorrer festas e eventos da alta sociedade de Manhatan e ser reconhecida por esta, Anna Delvey percebeu que para atingir o seu objetivo de criar uma fundação com o seu nome, dedicado à arte contemporânea, e arrecadar fundos para a mesma, precisava de uma imagem mais séria e credível. Realizou uma mudança de visual, deixando a imagem de menina rica e fútil, para jovem mulher empreendedora. Mudou a cor do cabelo de loiro para ruivo escuro, adotou roupas de hâute couture de estilo elegante e passou a usar óculos Céline (com “ar de intelectual”).

 

A falsa herança que fez crer estar prestes a receber, serviu para ludribiar importantes banqueiros dispostos a conceder-lhe empréstimos para concretizar a sua Fundação Anna Delvey. Advogados financeiros e agentes imobiliários de luxo deixaram-se enganar por Anna, que deixou também um rasto de dívidas gigante nos hoteis mais luxuosos e ainda a uma das suas amigas.

Os lesados confessaram não ter desconfiado porque Anna se apresentava com propriedade, sempre impecavelmente vestida e arranjada, e com um discurso muito bem colocado.

 

Anna acaba por ser presa sob acusação de vários roubos e dívidas. Mesmo nesta condição, não deixou a pose e por mais do que uma vez se recusou a apresentar em tribunal com as roupas fornecidas por este, exigindo roupas “decentes”.

 

Resumindo, o que a protagonista conseguiu alcançar pela sua aparência e postura foi de facto incrível e deve deixar-nos a pensar.


Se quer ser rico, vista-se como rico.

Se quer ser bem-sucedido, vista-se como bem-sucedido.

Se quer ser feliz, vista-se como feliz!